Delegado Geral de Polícia Civil

Eliseu Muller de Siqueira - Delegado Geral de Polícia Civil

Nascido aos 03 de julho de 1958, o Delegado Geral de Polícia Civil, Dr. Eliseu Muller de Siqueira é natural de Santo Ângelo/RS.

Graduou-se Bacharel em Direito pela Faculdade Ritter dos Reis, de Porto Alegre – RS, iniciando sua trajetória profissional militando na advocacia gaúcha e rondoniense.

Tomou posse como Delegado de Polícia em 1993, iniciando a carreira em Ariquemes onde atuou de 1993 até o início de 2009, tendo trabalhado no 1º, 2º e 3º DP’s, responsáveis por boa parte do Vale do Jamari.

Foi professor universitário durante vários anos em Ariquemes, na FAAR.

Especializou-se em Direito Penal e Processual Penal pela FARO, em Porto Velho.

Transferido para Porto Velho, trabalhou na Central de Flagrantes até o final do primeiro semestre de 2010, de onde saiu para trabalhar no 1ºDP e em seguida na Delegacia de Homicídios.

Ainda na capital, já foi Diretor de Polícia Especializada em 2011-12 (chefiando as delegacias especializadas), Diretor de Polícia Metropolitana em 2012-13 (chefiando a Central de Flagrantes, delegacias distritais e região metropolitana da capital), e Diretor de Polícia do Interior em 2014-2015, quando dirigiu as ações das delegacias no interior do estado.

Assumiu o cargo maior da Polícia Civil de Rondônia, em dezembro de 2015, tornando-se o Delegado Geral de Polícia Civil.

Ao longo da carreira foi condecorado com elogios e medalhas por sua atuação, destacando-se entre elas a Comenda Jorge Teixeira de Oliveira, maior condecoração da área de segurança pública em Rondônia.

Em sua gestão a prioridade é buscar eficiência e efetividade nas ações operacionais e de gestão, utilizando da melhor maneira os recursos disponíveis, assim como viabilizar aumento do investimento na instituição para que não haja demanda reprimida, o atendimento à população seja otimizado e ocorra a valorização dos servidores.

Neste sentido destacam-se as ações voltadas para o combate às organizações criminosas em crimes contra a administração pública em desvio de recursos públicos, lavagem de dinheiro, tráfico de drogas, crimes contra o patrimônio, crimes contra a vida, atendimento humanizado, em especial às mulheres e crianças vítimas, crimes ambientais, entre outros, além de ações de cidadania como a expansão e agilidade no atendimento da emissão das carteiras de identidade.

 

Fonte: ASCOM/PCRO

Sobre o Autor