Polícia Civil inicia implementação do projeto de lavratura do auto de prisão em flagrante por videoconferência

A Polícia Civil do Estado de Rondônia tem inovado com projetos e ações desenvolvidos em prol da segurança pública. Na última sexta-feira (08/06), o Departamento de Polícia do Interior (DPI) recebeu todo material físico adquirido com o Fundo Especial de Reequipamento Policial (FUNRESPOL) para implementação do projeto de lavratura do auto de prisão em flagrante por videoconferência. Computadores, câmeras, tv’s, microfones, cabos, entre outros equipamentos serão distribuídos a várias unidades da Polícia Civil para que até o próximo mês o projeto seja implementado nas cidades polo do Estado de Rondônia.

O Delegado-Geral da Polícia Civil, Eliseu Muller,  revela que o objetivo do projeto de lavratura de auto de prisão em flagrante por sistema de  videoconferência é “aproveitar a tecnologia disponível como instrumento para agilizar os trabalhos, diminuir os riscos com deslocamentos entre cidades, reduzir o tempo de permanência de policiais militares na delegacia, diminuir a quantidade de policiais escalados e, como o ato será gravado, trazer maior garantia para a prova criminal”, explica.

O Gerente de Administração e Finanças (GAF) da Polícia Civil, Heraldo Viana, revela que todo material foi adquirido com recursos do Funrespol e a distribuição esta sendo coordenada pela Gerência de Administração. “Cerca de R$ 110 mil foram investidos na compra destes equipamentos que irão minimizar os riscos dos profissionais da segurança pública que muitas vezes precisavam se deslocar para realizar um flagrante, assim como, promoverá economia para a instituição garantindo ainda mais eficiência na atividade fim”, disse Heraldo.

A Coordenadora executiva do Funrespol, Arizete Fernandes, afirma que já foram investidos mais de R$ 8 milhões somente do fundo na estruturação da Polícia Civil. “Veículos, computadores, mobiliário, entre outros melhoraram o desempenho da Polícia Civil fortalecendo assim a confiança da instituição com a sociedade”, explica.

Histórico   

O primeiro teste oficial neste novo modelo de flagrante aconteceu entre duas cidades da BR 429, São Miguel do Guaporé e São Francisco do Guaporé. O Delegado da Polícia Civil, Fred Mattos, estava em São Miguel do Guaporé quando precisou realizar um flagrante de violência doméstica (Lei Maria da Penha) registrado na cidade de São Francisco do Guaporé, distante cerca de 120 km. Diante da situação foi realizado a lavratura do auto de prisão por meio do sistema de videoconferência que ainda estava em teste, sem a estrutura necessária para o procedimentos. Na oportunidade, foram ouvidos condutor, testemunha, a vítima – que solicitou medida protetiva, assim como, o infrator foi interrogado via sistema de videoconferência. Com os novos equipamentos adquiridos, a Polícia Civil avança no segmento tecnológico e fortalece os trabalhos da atividade fim.

Vale ressaltar que a utilização da videoconferência para atos da Polícia Civil foi aprovada pelo Conselho Superior da Polícia Civil, através da Resolução n. 029/2017, publicada no Diário Oficial n. 92, de18 de maio de 2017.

Sobre ASCOM