Polícia Civil deflagra operação conjunta com PF e PM em Rolim de Moura

Investigações apontam que os envolvidos negociavam os veículos produto de roubo/furto no país vizinho em troca de entorpecentes e este eram comercializadas na própria região de Rolim de Moura

 

A Polícia Civil do Estado de Rondônia em ação conjunta com a Delegacia da Polícia Federal de Ji-Paraná/RO e a Polícia Militar (PM), deflagrou nesta quinta-feira (08/03), a Operação HADES, com objetivo de desarticular Organização Criminosa que praticava os crimes de roubo e furto de veículos na região do município de Rolim de Moura. De acordo com a Polícia, os veículos adquiridos com a prática criminosa eram utilizados como moeda de troca por entorpecentes no país vizinho, a Bolívia. Sob a coordenação do Delegado da Polícia Federal, Peterson e dos Delegados da Polícia Civil, Alexandre Baccarini e Daniel Domeneguetti, a Polícia realizou ao todo mais de 20 prisões e apreendeu mais de 10kg de drogas, entre cocaína e maconha, durante todo o período de investigação. Também foram realizados flagrantes de posse de arma e munições.

É importante ressaltar que a organização criminosa foi descoberta por meio do trabalho da Delegacia de Polícia Civil em Rolim de Moura juntamente com a seção de inteligência da 4ª CIA do 4º Batalhão de Polícia Militar, os quais, após alguns meses de acompanhamento de Inteligência Policial, encontraram fatos que – face ao caráter transnacional – passaram a ser objeto de competência da Justiça Federal, e consequentemente, da Polícia Federal.

O Delegado da Polícia Civil, Alexandre Baccarini, revela ainda que “a organização criminosa empregava mecanismos violentos para o cometimento desses crimes, valendo-se de ameaças às vítimas pelo uso ostensivo de armas de fogo, assim como, negociavam os veículos no país vizinho em troca de drogas que eram comercializadas na própria região de Rolim de Moura e em Costa Marques, subsidiando desta forma a continuidade das práticas criminosas”, explica.

Nesse ínterim, após a identificação dos suspeitos e a apresentação de fortes indícios de cometimento dos crimes, 23 policiais federais, 25 policiais civis e 12 policiais militares deram cumprimento a 12 mandados de prisão e 11 mandados de busca e apreensão expedidos pelo Juízo da Subseção Judiciária da Justiça Federal em Ji-Paraná.

OS CRIMES

Os envolvidos no esquema serão enquadrados nos crimes de tráfico transnacional de drogas (art. 33, §1º c.c art.40, inciso I da lei n. 11.343/2006), roubo majorado pelo uso de arma (art. 157, 2§, inciso I do código penal) e organização criminosa (art. 2º da lei n. 12.850/2013), com penas que podem passar de 15 anos de reclusão.

O NOME DA OPERAÇÃO

A denominação escolhida para a Operação faz alusão ao deus Hades da mitologia grega, que representa o submundo, numa permanente luta entre o bem e o mal.

Fonte: Assessoria

Sobre ASCOM