Porto Velho: Polinter cumpre 69 mandados de prisão em maio

A Polícia Civil, através da Polinter, cumpriu 69 mandados de prisão na capital, no mês de maio.

Depois de centenas de diligências em diversos pontos de Porto Velho, foram cumpridos 33 mandados de prisão, recolhendo 31 foragidos, já que dois deles possuíam dois mandados em aberto.

Ainda foram cumpridos mais 36 mandados de prisão para 27 pessoas que já estavam recolhidas. Um interno tinha quatro mandados de prisão, outro três, enquanto quatro possuíam dois e o restante um mandado de prisão em aberto.

Isto demonstra que outras investigações policiais e processos judiciais concluíram que essas pessoas, já recolhidas, haviam praticado outros crimes ainda quando em liberdade.

Neste mês de maio, entre os mandados cumpridos pela Polinter, destacam-se os relacionados aos foragidos do sistema prisional, envolvimento com tráfico de drogas, crimes contra dignidade sexual de crianças, violência doméstica e crimes praticados em outras cidades cujos envolvidos encontravam-se em Porto Velho.

O cumprimento de cada mandado de prisão representa o cumprimento da lei e combate à impunidade. Trata-se também de uma ação direta de combate à criminalidade que permite a segurança da população.

 

Novos mandados cumpridos em junho

 

Foram cumpridos quatro mandados de prisão nesta quinta-feira, 02.06,, recolhendo três condenados.

Amorilo Gomes Amora Neto foi preso para cumprimento da pena de 6 anos, 2 meses e 7 dias de reclusão, no regime fechado, pelo crime de roubo majorado (uso de arma de fogo e concurso de agentes), em decorrência do que foi apurado no inquérito policial (IP) 1405/2015/PP e processo 1000406-45.2015.8.22.0501, sendo encaminhado ao Presídio Pandinha.

Sérgio Macedo Lopes foi preso no processo 0004246-04.2011.8.22.0701, desdobramento do IP 118/2011, em segredo de justiça, à pena de 8 anos de reclusão. Foi encaminhado ao Presídio Pandinha.

Luiz Felipe Ferreira Mota apresentou-se espontaneamente. Em seu desfavor havia dois mandados de prisão. O primeiro refere-se a embriaguez na direção, apurada no IP 4114/2014/PP, processo 8596-14.2015.8.22.0501, resultando na condenação à pena 2 anos e 6 meses de detenção, em regime aberto, e ainda suspensão da CNH por 2 meses, cujo cumprimento havia sido iniciado. O segundo mandado refere-se ao processo 0004442-84.2014.822.0501, no qual foi condenado por praticar três roubos, com uso de arma de fogo, à pena de 6 anos, 4 meses e 24 dias de reclusão, em regime semiaberto, e 16 dias-multa.

Sobre ASCOM