Acusada por homicídio continuará presa após representação de Delegado

Cleonice Pereira de Lima Naressi

A Polícia Civil do Estado de Rondônia, por meio da Delegacia Especializada em Repressão aos Crimes Contra a Vida (DCCV), prendeu há cerca de 60 dias Cleonice Pereira de Lima Naressi, acusada de ter praticado o crime de homicídio contra seu companheiro Wilmar Batista de Sousa. A acusada foi presa temporariamente por 30 dias, foi renovado por mais 30 e nesta sexta-feira (17/11), o mandado de prisão venceu, contudo, por representação do Delegado da Polícia Civil, Sandro Moura, a prisão da acusada foi convertida em preventiva, que não tem duração determinada.

De acordo com informações policiais, Wilmar Sousa foi executado a golpes de faca no interior da residência em que vivia com Cleonice sua companheira. Posteriormente, a vítima foi levada até uma estrada à margem esquerda do Rio Madeira denominado Ramal Maravilha, onde teve o corpo carbonizado, assim como, teve as pontas dos dedos das mãos e dedos dos pés arrancados.

Cleonice Lime, após o crime, utilizou o cartão bancário  da vítima para realizar saque, bem como fazer compra. A investigação aponta ainda que a acusada vendeu o veículo da vítima no município de Guajará-Mirim e passou um tempo foragida. A equipe da Delegacia de Homicídios localizou Cleonice Lima em um salão de beleza no Bairro Tancredo Neves. A acusada nega a prática criminosa.

O Delegado que atua no caso afirma que as investigações continuam e o relatório do inquérito deve ser encaminhado em breve ao Ministério Público Estadual (MPE) para oferecimento da denúncia.

Sobre ASCOM