Polícia Judiciária Civil recupera carreta furtada e liberta refém

A habilidade dos agentes de Polícia Civil lotados no Núcleo Integrado de Inteligência de Fronteira, atuando em combate aos crimes da faixa de fronteira, foi primordial para lograrem êxito em recuperar a carreta bitrem da marca IVECO, placas NDO-0410 (cavalo) e DVS-3149 (carreta), além de libertar a vítima que era mantida refém.

A ação se deu quando os policiais observaram o veículo, próximo ao Posto Atem, com três ocupantes em seu interior, sendo que um deles saía e entrava olhando para os
lados, em atitude suspeita. Ao aproximarem do veículo, o ocupante Ronaldo, ao ser entrevistado, entrou em contradição acerca de sua conduta. Em seguida, foi solicitado que os outros dois ocupantes saíssem da carreta, e, não atendendo a ordem da saída, as portas foram abertas bruscamente pela equipe e o condutor (vítima), muito nervoso e lagrimando, disse ser o dono do veículo, mas dizia que não queria contar nada aos policiais.

O terceiro ocupante, quando entrevistado isoladamente, confirmou que os três, de fato, ocupavam o veículo e mudava de versão a todo o instante. A vítima foi separada dos demais e apenas chorava, dizendo que não queria contar nada por receio de algum familiar ser morto. Uma equipe da Polícia Civil daquela localidade constatou que os familiares do condutor não sofriam qualquer ameaça.

Não restando outra alternativa, Altair acabou confessando, que na noite de domingo (05), por volta das 19h, ambos os conduzidos, de posse de um arma de fogo em punho, se aproximaram de dois carreteiros que estavam em um posto de combustíveis em Nova Califórnia-RO, anunciaram o assalto e levaram apenas a carreta ora apreendida, de modo que foram mantidos no veículo a vítima e o proprietário da segunda carreta, sob ameaça de arma de fogo, sendo esse segundo largado no eixo da BR-364, próximo ao Distrito de Extrema e, ainda com a vítima (dono da carreta) em poder dos conduzidos, se deslocaram até esta cidade de Nova Mamoré, onde passou a negociar com pessoa que não quis identificar, mas apenas contou que se tratava de um boliviano.

Diante do cenário foi dada voz de prisão a Ronaldo e Altair. Em revista, foi encontrado um interior de uma mala, na cabine da carreta, um revólver calibre 38, série 1117306, com 05 munições intactas em seu tambor, arma esta que Ronaldo admitiu ser de sua propriedade, sendo o instrumento do assalto.

Diante dos fatos, foi dada voz de prisão aos conduzidos, que foram apresentados à Autoridade Policial, juntamente com a carreta apreendida, a arma de fogo e munições.

ASSCOM

Sobre ASSCOM